Intolerância religiosa (será?)

É, pois é amigos de senda e destino,

Hoje fui surpreendido com uma notícia absurda:

Invadiram meu terreiro em Itanhaém, e as primeiras informações davam conta de destruição total… Como estou em São Paulo, o martírio e a espera de notícias foi amargurante…

Após incontáveis 2 horas, a resposta de minha tia que se dirigiu ao Colégio 7 Espadas para avaliar o estrago e acionar o policiamento:

Destruíram 1 atabaque, furtaram algumas guias minhas, alguns apetrechos das entidades, alguns cristais sem valor, uma espada de ferro, 2 caldeirões de cobre dos ciganos e respectivas moedas (uns 3 Reais) e  o som (talvez à título de tirar a suspeita de qual já temos).

Pelo material furtado, não acredito tratar-se de um furto simples, mas sim de busca de material para demandar contra o terreiro e à minha pessoa. Outros materiais de valor não foram levados, o que leva a crer que entraram para buscar doações e retirar peças para oferendas negativas e demandar contra mim e contra a casa.

PARA AQUELE(s) QUE ADENTROU(aram) AO TEMPLO, UM LOCAL SAGRADO, E PROFANOU CONTRA OS ORIXÁS (RUM (atabaque maior), OGUM, pela espada furtada, LINHA DOS CIGANOS, pelos caldeirões de cobre e moedas e XANGÔ pela injustiça cometida contra nós), leia bem:

Que suas proteções espirituais  tomem conta de sua(s) coroa(s), pois irei clamar os sagrados Orixás profanados e suas respectivas esquerdas para a devida punição a ti, no mais devido rigor da Lei Maior e Justiça Divina, porque eu não posso julgar, mas posso clamar.

Que eles não tenham dó de ti, profanador infeliz, pois sei que o material furtado não tinha qualquer valor material, nem para ser usado com troca de droga. Quando tu começar a demandar contra mim ou a casa ou qualquer um do meu Colégio, que imediatamente essa oferenda será ofertada ao seu Exu, e que ele devolva a profanação a ti na medida certa com seu cetro fálico (sabemos que Exu devolve 7 vezes maior), punindo-o à altura de sua profanação, isto é, caso seu Exu já não o tenha abandonado e deixou lugar à um quiumba qualquer, o que é bem possível. E se for esse o caso, então que essa oferenda seja revertida ao Sr. Exu Maioral, e que ele seja rigoroso na condução da Lei sobre sua vida, seu pequeno projeto de ser religioso (porque Umbandista não pratica atos imbecis como esse). Que assim seja…

Opa, acham que eu estou nervoso? Se eu estivesse nervoso, meus atos seriam descabidos e eu me rebaixaria ao nível desse(s) crápula(s), e eu já não mais seria um Umbandista, seria mais um da corja desse(s) infeliz(es).

E tenho orgulho de ser o que sou: Umbandista. Desse(s) otário(s) eu tenho pena, pois não evoluiu(íram) e nem sabe(m) o que é ser religioso. Dó não tenho, pois verei as devidas punições serem aplicadas, e, como disse o Exu: a última risada é minha…

Anúncios

Vida de Sacerdote…

Ei, voce… Sim, voce, que quer ser Sacerdote, que acha o máximo ser Sacerdote e almeja ser um…

Ei,voce, que critica cursos de Sacerdócio, que ofende quem os ministra e ainda acha que sua Faculdade é “the best”, isso, é, aquela que não possui reconhecimento de cursos, não tem alunos e não forma em nada…

Saibam voces que um curso não faz um Sacerdote. O aperfeiçoa…

O Sacerdote nasce com uma missão… Ele já nasce Sacerdote, e faz N cursos pra se aperfeiçoar, para ser melhor, pra servir ao alto de uma melhor forma…

E não adianta voce criticar os cursos de Sacerdócio, porque eles existem, e vão continuar existindo, queira voce ou não. Sempre existirão pessoas querendo melhorar ou serem melhores ao próximo. E pra voce que o fez e não se reconheceu nele, não adianta voce cuspir no prato que come, pois sua espiritualidade cuspirá em voce. Se voce não se reconheceu no curso, não é porque ele é não é bom, é voce que não nasceu pra ser Sacerdote, pense nisso…

E pense duas vezes antes de achar que está apto a abrir uma casa…

Ah, sim… Vida de Sacerdote não é fácil não… mas depois eu conto mais…

Incorporações estranhas

Não é minha intenção ser jocoso, mas algumas incorporações me causam espanto.

Senão vejamos:

1) por duas vezes, e por médiuns diferentes, eu vi a incorporação de Ogum. Até aí normal, mas um médium assistente fica ao lado e incorpora O CAVALO!!! E mais, um dos “Oguns” queria subir no “cavalo”. Alguém pode explicar?

2) Outro dia, no inicio dos trabalhos em um determinado centro de Umbanda, ao cantarem a tradicional “Pombinho branco”, um dos médiuns incorpora o “pombinho” e começa a arrulhar pelo terreiro… Me faltou o estilingue… Alguém explica isso também??

Minha sã consciência desconhecia a incorporação animal na Umbanda. Daqui a alguns dias hei de ver alguém incorporar o “bode expiatório” ou a “vaquinha do presépio”.

Peço gentilmente que alguém explane sobre o assunto.

3) Contam os cantos dos terreiros que um conhecido Sacerdote incorporou sua “pomba-gira” e passou um final de semana trancado no “quarto de santo” com os dois Ogãs saradões da casa, com a determinação de que os ogãs não sairiam de lá enquanto não saciassem os “desejos” da “Pomba-Gira”… Haja fôlego…

4) Tem ainda aquela do sacerdote que mete o pau em seus livros, em quem usa apetrechos para suas entidades, tais como cocares, roupas de “esquerda” e outros, mas publica fotos na internet exatamente assim, incorporado e trajado “a carater”. Desce a lenha no Sr. Zé Pelintra, chamando-o de pilantra e o sacerdote pilantra incorpora “seu Zé”… O famoso “faça o que eu digo mas não faça o que eu faço”. Ridículo…

E isso continua…